Terça-feira - 
21/09/2021
ASSESSORIA JURÍDICA CRIMINAL E CÍVEL

Convênio entre TJRJ e Município do Rio vai inserir mulheres vítimas de violência doméstica no mercado de trabalho

Um dos fatores que leva a mulher a permanecer em uma situação de violência doméstica é a dependência econômica do agressor. Sem perspectivas de se sustentar, ela não vê como sair desse ciclo violento. Com o objetivo de encaminhar essas vítimas que têm ações judiciais na Justiça fluminense a uma inserção no mercado de trabalho, será firmado um protocolo de intenções entre o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e o Município do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda.  A solenidade de assinatura será realizada nesta terça-feira (14/9), às 11h, no TJRJ. Segunda a juíza Adriana Ramos de Mello, titular do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Capital,  pesquisas recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a pandemia acentuou a dificuldade financeira de muitas mulheres que não têm nem o alimento mais básico para comer. “São dados estarrecedores e este convênio vem agora como um bálsamo. O Tribunal de Justiça do Rio, preocupado com a dificuldade que essas mulheres enfrentam, oferecerá a elas uma oportunidade de se inserirem no mercado de trabalho, em parceria com a Prefeitura”, destacou.Para a magistrada, que atua há anos no combate à violência doméstica, um grande desafio hoje no Brasil é a questão do trabalho. “Grande parte delas sofre muito em função da dependência econômica, aquela relação se torna abusiva e elas não têm como se manter, não têm emprego”.
13/09/2021 (00:00)
Visitas no site:  413211
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.